A resistência bacteriana: Um problema global em medicina veterinária e saúde pública

A resistência bacteriana: Um problema global em medicina veterinária e saúde pública
Imagem divulgaçao

                    "No que diz respeito as bactérias, o principal desafio dentro do contexto de saúde única é a resistência bacteriana, que surgiu há cerca de 20 anos, tornando um problema global em medicina veterinária e saúde pública. Na rotina clínica-dermatológica veterinária a dermatopatia mais frequente nos cães é a piodermite superficial canina, doença esta relacionada principalmente com cães acometidos com alguma doença de base, como por exemplo a Dermatite Atópica Canina, doença inflamatória crônica e pruriginosa, de cunho genético, e que não tem cura, porém há controle. A piodermite superficial canina (PSC) é uma infecção dermatológica de origem bacteriana onde o agente Staphylococcus pseudointermedius está envolvido em mais de 90% dos casos como patógeno causador de tal distúrbio. Devido ao caráter secundário a doenças
subjacentes e muitas recorrências, seu tratamento quase sempre é feito com antibióticos sistêmicos, que na sua grande maioria ocorre indevidamente e sem diagnóstico. Em alternativa ao uso indiscriminado dos antimicrobianos, um número crescente de diferentes antibacterianos e
antissépticos tópicos está disponível para uso na prática de pequenos animais, como clorexidina, que se destaca por ser um antisséptico de baixa toxicidade, o hipoclorito de sódio que é um alvejante barato e amplamente disponível, e o barbatimão (Stryphnodendron adstringens) que é
uma leguminosa bastante frrequente no cerrado braliseiro, possuindo atividade antibacteriana. Portanto, o uso conservador de antimicrobianos sistêmicos tornou-se crucial, e uma terapia tópica é frequentemente procurada como alternativa ao tratamento das piodermites. Assim, faz-se necessário o uso de medicamentos tópicos não apenas como coadjuvantes, mas sim, como único tratamento para tal afecção.
                 Estudos recentes trazem uma nova abordagem para o manejo da Piodermite canina, sugerindo mudanças nas recomendações tradicionais de tratamento, para que possamos trabalhar com essa grande ameaça da eficácia dos antimicrobia nos, que é também um problema grave em saúde pública. A prevalência de bactérias multirresistentes aumentou significativamente, e foi mais frequente em animais que haviam recebido antibioticoterapia anterior .Analisando o contexto de bactérias cada vez mais resistentes envolvidas nos quadros de infecções da pele canina, principalmente nos casos de piodermite superficial, e em especial aos patógenos multiressistentes, é essencial isolar os agentes que acometem a pele de cães com PSC, principalmente em casos recidivantes para haja melhor conduta ao protocolo terapêutico, evitando assim uso insdiscriminado de antibióticos sistêmicos."

Dalila Almeida Lima

 

Dalila Almeida Lima é Graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Goiás - UFG (Jataí- 2009), é especialista em Dermatologia de Animais de Companhia pela Qualittas (Universidade Brasil- /2016) e, em Docência Universitária e Tecnologia pela Faculdade ICG( Instituto de Consciência Goiana/2018). Mestranda no Programa de Biociência Animal pela UFJ. Tem experiência na área de Medicina Veterinária, com ênfase em Clínica de animais de companhia, atuando na parte clínica de cães e gatos, e principalmente na área dermatologia de animais de companhia. Atualmente é veterinária-proprietária no Consultório Veterinário, Dermato In Vet, situado na rua Deputado Manoel da Costa Lima, 3006 (em frente à Secretaria da Fazenda do Estado). Whatsapp (64) 9/9977-1437.