Cobertura: Audiência Pública da CPI da Enel em Jataí aconteceu nessa terça-feira!

Cobertura: Audiência Pública da CPI da Enel em Jataí aconteceu nessa terça-feira!
Cobertura: Audiência Pública da CPI da Enel em Jataí aconteceu nessa terça-feira!
Cobertura: Audiência Pública da CPI da Enel em Jataí aconteceu nessa terça-feira!
Cobertura: Audiência Pública da CPI da Enel em Jataí aconteceu nessa terça-feira!

Jataí sediou nesta terça-feira dia 27, audiência pública itinerante da Comissão Parlamentar de Inquérito que apura falhas no fornecimento de energia pela empresa Enel. Ao iniciar os trabalhos, o deputado Cairo Salim (Pros), relator e vice-presidente do colegiado, que tem presidido a maioria desses encontros, ressalta a necessidade de ouvir a sociedade. “Estamos ouvindo demandas e denúncias que servirão de subsídios na elaboração do nosso relatório final, que será encaminhado ao Ministério Público e Tribunal de Justiça de Goiás”, frisou. Para parlamentar goiano, a situação de relação entre a Enel e seus usuário é crítica e que Jatai precisa ser respeitada!  Em seguida, fez uso da palavra a Presidente do Poder Legislativo jataiense, Vereadora Kátia Carvalho (Solidariedade).

                      A vereadora afirmou que a Câmara Municipal não está omissa com relação às demandas e reclamações dos jataienses e que inclusive o próprio prédio do Legislativo tem sofrido por problemas técnicos decorrentes de quedas de energia elétrica. Ela citou que ainda que a cidade tanto na zona urbana como na zona rural, tem sofrido perdas significativas devido ao serviço prestado pela Enel.  Em sequência fez uso da palavra, o Procurador do Município, Dr. Ricardo Assis, que disse que empresas, comércios e novos empreendimentos estão sendo travados por falta de energia elétrica suficiente e que o Poder Executivo tem feito ações contundentes no sentido de cobrar da Enel soluções para esses problemas, através da execução dos cronogramas empenhados. Segundo ele, mais de 400 reclamações foram protocoladas no Procon local contra a Enel.  O Procurador citou sobre a Ação Civil Pública que o Município apresentou contra a empresa de energia.  Em uso da palavra, a Vice Prefeita de Jataí, Drª. Simone de Oliveira Gomes (PC do B) disse que o Parlamento Municipal deve cobrar mais soluções da Enel e que Jataí está parada no tocando ao seu crescimento devido aos problemas causados pela insuficiência energética. Simone aproveitou para reforçar um pedido seu no sentido de atender cerca de 286 famílias carentes que residem na área denominada Bairro Nova Esperança   que aguardam ligações de energia em suas residências. A Vice Prefeita finalizou dizendo que aguarda que esses debates tenham resultados práticos!

                    Também fez uso da palavra o Procurador da Assembleia, que expos números que comprovam que o serviço prestado pela Enel deixa a desejar e realmente tem causado a insatisfação dos goianos.  Também o ex vereador Geovaci Peres fez uso da palavra e expôs a sua indignação quanto aos serviços prestados. Segundo ele há burocracia demais e lentidão nos serviços. Ele cobrou agilidade nas vistorias para ligação de energia nos imóveis.  O vereador Adilson Carvalho (PMDB) também expôs sua insatisfação. Para o vereador Carvalhinho (Solidariedade), o Call Center da empresa é precário, e não atende à contento. O edil também alegou que falta servidores qualificados e citou a dependência que Jatai tem com relação á cidade de Rio Verde para os serviços da Enel na região. Ele citou um grande prejuízo que um grupo empresarial jataiense teve recentemente devido á péssima energia no município.  Um produtor rural representante do Sindicato Rural também fez uso da palavra, e citou vários exemplos de prejuízos no campo e cobrou soluções!

                    O Vereador Pastor Luiz Carlos (PSDB) cobrou que a Enel “ouça” a voz de Jataí! Ele também citou problemas e disse que a cidade não pode ficar atrás no que se refere aos investimentos da empresa energética em Goiás.  O Produtor Rural Élcio Borges, assim como o Presidente da Associação Atlética Banco do Brasil AABB, José Carlos, também fizeram uso da palavra e expressaram seus descontentamentos com a baixa qualidade dos serviços prestados pela Enel.

Representante a ENEL respondeu sobre as críticas e queixas- Para o advogado Lúcio Flávio, que ali estava para representar a empresa Enel, a resolução dos problemas apresentados por todos os oradores anteriores á ele, carece não apenas de investimentos financeiros, mas de tempo, pois são ações complexas e sistemáticas. Ele citou as duas décadas anteriores em que a CELG estava em situação de desastre econômico, sendo federalizada em 2012. E que embora a Enel tenha pago cerca de 2,2 bilhões de reais na operação, os problemas antigos que a empresa herdou não foram causados pela mesma, mas sim pela CELG e que em apenas 30 meses, esses problemas não podem ser todos resolvidos.  Ele afirmou que a Enel irá investir mais 1,2 no sistema elétrico em Goiás. Segundo ele, a cidade de Jatai é prioridade para a Enel e que no próximo mês será inaugurada a ampliação e reforma da Subestação de Jataí.  Em resposta às reclamações ele ainda informou que a empresa que prestava serviço para a Enel em Jatai foi substituída pro outra, com objeto de melhor o atendimento aos usuários. Ele citou ainda que novos caminhões, motos, tratores e veículos foram alocados para a região de Jataí. Finalizando ele afirmou que todas as demandas feitas na audiência serão devidamente encaminhadas à diretoria da Enel e que essas audiências públicas e não tem ficado apenas no papel e que a Enel vai resolver todos os problemas, porém necessita de tempo!

 

                 Além de Jataí,  CPI da Enel já promoveu encontros em Anápolis, Catalão, Rio Verde, Aparecida de Goiânia, Morrinhos, Caldas Novas, Itumbiara, Porangatu e Uruaçu. As últimas oitivas antes da conclusão dos trabalhos da comissão serão realizadas neste semestre. Já está aprovada a convocação do novo presidente da Enel, José Luís Sales, para depoimento no dia 12 de setembro. A CPI quer acesso aos planos de investimentos da empresa no ano de 2019, bem como o planejamento de investimentos até 2020.

 

Texto: Jerry Lewis, com informações do Portal da Alego/Goiás

Fotos: Jerry Lewis