Ministérios dos Direitos Humanos e da Cultura se unem para preservar a memória e as conquistas nacionais

Ministérios dos Direitos Humanos e da Cultura se unem para preservar a memória e as conquistas nacionais
Silvio Almeida e Margareth Menezes iniciam estruturação de memorial em defesa da cidadania brasileira (Foto: Clarice Castro - Ascom/MDHC)

A memória e a cidadania brasileira marcaram presença, nesta quarta-feira (11), em Brasília, durante um encontro entre os ministros dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC), Silvio Almeida; e da Cultura (MinC), Margareth Menezes. Pela manhã, os gestores reuniram-se a fim de abrir diálogo e traçar as primeiras iniciativas entre os órgãos. 

Durante a reunião, o ministro Silvio Almeida destacou que as ações conjuntas serão desenvolvidas por meio de um Grupo de Trabalho Interministerial (GTI). “Nós entendemos que a relação entre direitos humanos e cultura não pode deixar de ser feita, principalmente neste momento do país”, afirmou o ministro, sinalizando união de esforços após os atos antidemocráticos que, no último domingo (8), tentaram ofuscar as conquistas da República Federativa do Brasil. 

A ministra Margareth Menezes explicou parte dos objetivos atribuídos ao novo grupo de trabalho. “A cultura tem um papel importante para sensibilizar e fazer com que as pessoas reconheçam sua humanidade. O grupo que estamos criando tem justamente este viés: mostrar que os direitos humanos são uma conquista do cidadão brasileiro e, como tal, deve ser preservada”, pontuou a gestora.

Os ministros anteciparam que, entre os projetos, está a criação de memoriais  sobre democracia e direitos humanos. A iniciativa é defendida pelo titular do MDHC e terá a missão de resguardar a memória brasileira. A previsão é de que o documento, com todos os detalhes, competências e estrutura do GTI, seja publicado no Diário Oficial da União dos próximos dias.

A ministra da Cultura e o ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania (Foto: Clarice Castro - Ascom/MDHC)